fbpx

Em clima de contemplação e boas recordações, a Convenção Batista Carioca reuniu, no último dia 23 de janeiro, na Primeira Igreja Batista de Oswaldo Cruz, irmãos de várias regiões da cidade do Rio de Janeiro para um culto de celebração em comemoração aos seus 117 anos de existência.

Foi uma programação temática com foco em unidade e cooperação, dois assuntos representados no tema anual de 2022: “Unidos, Gerando Vidas”. Tal proposta surgiu sob inspiração do verso bíblico de Atos 4.32 – “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”. A expectativa da liderança é de integração com ênfase missionária, marcas constantes na obra batista.

O 117º aniversário da CBC foi conduzido por Ramon Oliveira, segundo vice-presidente dos batistas cariocas e ministro de jovens da PIB do Rio de Janeiro. Sua participação não foi por acaso, pois mostra o desejo de que as novas gerações estejam cada vez mais conectadas ao contexto denominacional. Dentre os elementos que abrilhantaram a noite de celebração, destacam-se a condução de louvores pelo ministério de adoração da PIB de Oswaldo Cruz, os momentos inspirativos proporcionados pelo Coro Jovem da PIB de Irajá e a mensagem especial da oradora Marlene Baltazar da Nóbrega Gomes, que, entre suas muitas contribuições à denominação, soma-se a presidência da União Feminina Batista da América Latina.

Para a irmã Marlene, oradora da noite, a cooperação fortalece o propósito da existência da igreja

“Hoje é um dia singular”, iniciou irmã Marlene. “Os irmãos estão como aqueles soldados que, voltando para a casa depois de terminada a guerra, trazem os louros da vitória. Os dias hoje não são fáceis, mas Deus tem dado vitórias a esta convenção. Quantas lutas enfrentadas, quantas vidas geradas para Cristo e seu Reino! Como os israelitas, os irmãos chegaram do outro lado do Mar Vermelho, mas não ficaram estacionados. Prosseguiram e sempre prosseguirão.”, completou. Relembrando com saudades os momentos vividos com muitos líderes cariocas, a oradora afirmou que foram muitos os irmãos que deram suas vidas para que a CBC chegasse aonde chegou. Um trabalho realizado por pessoas consagradas ao Senhor, que pregavam o que podia ser visto em suas vidas.

Irmã Marlene pautou sua palavra na divisa anual da CBC, apresentando as características da igreja primitiva e o aprendizado dos crentes daquela época, tendo tudo em comum, compartilhando não apenas bens, mas vida. “Muitos vivem como se a obra fosse feita apenas pela liderança, quando a bíblia ensina que todos devem ser cooperadores, trabalhando pelo avanço do evangelho. Se a necessidade chegou à sua porta, é seu dever compartilhar o que tem”, incentivou a líder, destacando que a cooperação fortalece o propósito da existência da igreja, que é a geração de vidas.

Pr. Joel (esq) recebe da CBC placa comemorativa ao centenário da PIB de Oswaldo Cruz

A programação não poderia deixar de prestigiar a PIB de Oswaldo Cruz, que além de ter fornecido toda a estrutura para a realização da festividade, comemora este ano o seu centenário. Em virtude disso, recebeu, na pessoa do pastor Joel da Silva Siqueira, uma placa pelo jubileu de jequitibá. A igreja foi fundada em 19 de agosto de 1922, pela PIB de Madureira, e soma grandes realizações ao longo de sua história, tais como um sólido de evangelização, discipulados em células e a organização de quatro igrejas, sendo elas: IB do Tauá, IB em Engenho Novo, PIB de Cascadura e IB Campo dos Afonsos.

Ciente de que ainda há muitas vitórias a serem conquistadas, a Convenção Batista Carioca registra sua gratidão a Deus e às igrejas que contribuem para a permanência de projetos transformadores, que geram vidas e fortalecem ministérios relevantes.