Enquanto a violência se mescla ao êxtase provocado pela música e pela libertinagem, voluntários do Impacto de Carnaval 2018 marcam presença, esverdeando cenários com seus uniforme e mostrando que é possível ter esperança em meio à crise moral que se espalha por todo o estado do Rio.

No Morro da Providência, na capital carioca, uma equipe realizou, na tarde de ontem, atividades esportivas que tinham como objetivo falar do evangelho às crianças da comunidade. O trabalho tem sido apoiado pela Congregação Batista Casa Cruzeiro – da Comunidade Batista Vida. À noite, os voluntários seguiram a um viaduto que margeia a Sapucaí para abordar pessoas que assistiam ao desfile das escolas de samba.

“A gente teve a oportunidade de criar relacionamentos com quem ainda não tínhamos e, especialmente, compartilhar a esperança de Cristo. Na primeira noite, descemos o viaduto beirando a Marquês de Sapucaí e encontramos famílias que moram aqui e que tiveram a oportunidade de ouvir o evangelho. Pessoas ali se renderam aos pés de Cristo ou o reencontraram. Quem esteve ali foi impactado pela palavra de Deus e o meu desejo é que todos que ainda não participaram do Impacto possam vir numa próxima oportunidade”, disse o missionário Juan Gonçalves, um dos líderes da congregação e capelão socioeducativo da Convenção Batista Carioca.

Muitos que vieram ao Impacto buscam experiências missionárias relevantes para suas vidas. Marcos Azevedo veio de longe, de Casa Branca(SP), para encontrar no Rio de Janeiro uma vivência cristã especial, de compaixão.

“Vim para viver essa experiência, essa prática de abordagem, de evangelismo, e ter esse convívio com as pessoas”, apontou o voluntário, que é membro de uma igreja Assembleia de Deus.
Além de aprender, Marcos veio com uma missão especial. Ele deseja reproduzir o Impacto de Carnaval no interior paulista. “Quero aprender o máximo possível aqui e introduzir a estratégia lá, formando pessoas para nos ajudarem nesse trabalho”.

Base de Oração
Enquanto a equipe de evangelização vai à frente, na base de oração voluntários se revezam para manter o ritmo de intercessão por todos os envolvidos no Impacto de Carnaval. Durante todo o período do projeto, mensagens são trocadas pelo aplicativo WhatsApp com o objetivo de manter atualizados os motivos de oração.

As paredes da base de oração também estão repletas de nomes de equipes e líderes. O objetivo é reforçar a proposta dos intercessores: orar sem cessar.

Um dos pedidos que chegaram ao time de intercessores esteve relacionado a um jovem ligado ao tráfico de drogas. O que chama a atenção é que, segundo voluntários, ele nunca tinha ouvido falar de Cristo.

“Um jovem, do tráfico, que nunca tinha ouvido de Jesus, quis o perdão e a salvação sem questionar. Orei pela vida dele e, juntos, entregamos sua vida para Cristo! Que agora ele permita que Deus mude sua realidade e busque estar no meio dos amados irmãos da Igreja Batista Jardim de Arimateia [base do Impacto na comunidade da Mangueira]!”, destacou o voluntário Rodrigo Nicolaevsky.

A equipe de oração é composta por cerca de 50 pessoas, em revezamento de três turnos, durante 24h por dia. Essa retaguarda é essencial para o fortalecimento dos que seguem na linha de frente e para que corações estejam abertos à mensagem que está sendo propagada pelos impactantes.

Hoje será o grande dia de abordagem no Sambódromo. As equipes terão até a tarde dessa segunda-feira para retornarem à base central, na 1ª Igreja Batista de Cascadura. Após um culto de celebração, às 19h, todos seguirão para o Centro do Rio, onde permanecerão até às 3h de terça-feira. Será uma operação missionária intensa e precisamos de suas orações.