Na madrugada de sexta para sábado, centenas de adolescentes e jovens se aglomeravam nas areias da praia do Recreio dos Bandeiras, na altura do posto 9, para momentos de comunhão e celebração a Deus no evento anual dos Adolescentes Batistas Cariocas conhecido como Luau da ABC.

Brinquedos, equipe de louvor animada e mensagem edificante foram os ingredientes de uma receita que vem dando certo há dez anos, quando o Luau ainda dava seus primeiros passos. O evento vem ganhando notoriedade a cada edição e, por conta disso, há um claro aumento de público, mostrando que a programação atinge a necessidade de socialização entre os adolescentes.

Neste ano foram 800 pessoas participando, entre adolescentes de várias associações batistas, seus pais, líderes e amigos. Quem esteve presente notou que, embora o evento aconteça em local aberto, a capacidade de concentração e organização é de impressionar.

O momento devocional abre a programação. A equipe de louvor, formada pelos próprios adolescentes, dá conta do recado e conduz com maestria a adoração, mesmo com recursos sonoros limitados. Em seguida, vem o momento de reflexão com um pastor convidado.

Este ano, a mensagem ficou a cargo de Rafael Rocha, pastor de juventude da IB Monte Tabor, em Campo Grande. Usando o texto de Hebreus 12, Rafael incentivou os adolescentes a buscar pessoas que os inspirem a ter uma vida de acordo com o Evangelho.

“Quando a palavra diz que estamos cercados por uma nuvem de testemunhas, o autor não queria dizer que tem gente fiscalizando sua vida. Ele quer dizer que há homens honrados, que viveram uma grande realidade de fé e que se transformaram em vidas inspiradoras. Deveríamos olhar para essas pessoas, que viveram uma causa, e nos inspirarmos nelas. Olhem para elas porque existe uma proposta, uma carreira para ser corrida”, disse o mensageiro.

O adolescente Daniel de Castro afirma que eventos como o Luau precisam acontecer para facilitar o contato com pessoas de mesma fé, já que encontrar aceitação social ainda é uma tarefa difícil. “A época de escola é desafiadora. Você é cristão e está ali para falar para as pessoas o que você ouve na igreja. Isso é muito difícil! Acho que o preconceito e a falta de aceitação para com o evangélico é grande”, comenta Daniel. Segundo ele, a chave está na estratégia do discipulado, ou seja, na forma natural de aprender e ensinar os princípios do evangelho. “Se você não tiver isso, você não tem uma base para explicar sua fé nos ambientes que vivemos”.

Foi a primeira participação de Pablo Tavares no Luau da ABC. Ele, que neste ano assumiu a liderança dos adolescentes na Comunidade Batista Vida, aprova a utilização de estratégias atrativas para este público, especialmente se o foco está no relacionamento. “O mundo é tão atraente para o adolescente e aqui nós temos uma forma atrativa para que eles encontrem pessoas de mesmo foco. De maneira geral, creio que o principal desafio está no discipulado porque a gente tem que aprender a andar junto deles. Eles querem e precisam ser ouvidos. Às vezes a família deixa de ouvi-lo e a gente, como líder e pai espiritual, tem que aprender a ouvir e mostrar que eles são importantes”.

O coordenador do departamento Adolescente Batista Carioca, Marcus Vinicius Cabral, afirma que o luau se tornou um marco entre os adolescentes. Depois de tantas edições, continua sendo um evento forte e bastante cobrado. “O luau, além de promover a unidade, acaba sendo um evento de abertura das atividades das associações. Do luau, o líder da associação já marca as atividades regionais. Safira e Ilha do Governador, por exemplo, fizeram assim. Isso marca a união das igrejas, como corpo de cristo, falando de Jesus e apoiando umas às outras”.

As atividades do departamento de adolescentes da Convenção Batista Carioca costumam ser comunicadas, primeiramente, pelo Facebook. A página www.facebook.com/adolescentecarioca não é apenas uma central de informações para a faixa-etária, mas acaba sendo um espaço para comunhão e edificação. A galeria de fotos do LUAU da ABC já se encontra disponível nesta fanpage.