A Junta de Ação Social Carioca (JASC) é a organização responsável por representar o esforço coletivo da denominação na cidade do Rio de Janeiro, em termos de atividades solidárias e de valorização do ser humano. Seus projetos assistem crianças, adolescentes e, especialmente, idosos.

Ao longo de sua existência, a organização tem passado por grandes desafios. Atualmente, a escassez de recursos que sustentem todas as suas atividades é a grande antagonista, o que obrigou a JASC a apelar por mantenedores.

Em entrevista ao Batista Carioca News, a assistente social Elaine Nolding explica detalhes dos atuais desafios da JASC e ressalta que as ações desenvolvidas continuam sendo relevantes para a comunidade local, bem como importantes para a representação batista na região.

Atualmente, quais os projetos desenvolvidos pela JASC e qual o perfil das pessoas beneficiadas?

Atualmente, os projetos desenvolvidos pela JASC são: Jasc Esporte & Cultura, Madrugada do Carinho e Lar Batista do Ancião.

No Projeto JASC Esporte & Cultura são atendidas crianças e adolescentes da comunidade ao entorno, através das atividades de futebol e karatê. Em frente à sede da JASC, existem três condomínios de casas populares do Programa Minha Casa, Minha Vida, onde boa parte dos moradores encontrava-se em situação de risco social e foi assentada nestes condomínios pela Prefeitura do Rio. Percebemos muita vulnerabilidade, desemprego, evasão escolar, adolescentes e jovens sem perspectivas de futuro. A JASC tem sido parceira do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS Cecília Meirelles), da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, que atende os moradores de nosso bairro em nosso espaço.

A Madrugada do Carinho, na década de 90, reunia em torno de 500 irmãos na PIB do Rio, sob a liderança do irmão Henrique Cézar. Foi um trabalho de grande expressão e que, desde 2014, tem sido realizado sob a liderança do Diácono Ielmo Valentim, remanescente deste projeto. Atualmente, o ponto de encontro ocorre na PIB de Marechal Hermes, onde se direcionam para a Região Norte e Centro do Rio. No percurso, outras igrejas batistas e de outras denominações vão se encontrando. O foco é abordar as pessoas que se encontram em situação de rua, levando alimento material e espiritual e, em alguns casos, há encaminhamentos para instituições de acolhimento e tratamento em dependência química. Nosso objetivo é tornar essa abordagem mais técnica, enquadrando-o como um braço da Política de Assistência Social, mas não abrindo mão da esfera espiritual que faz toda a diferença.

O Lar Batista do Ancião é o trabalho de mais peso e mais complexo realizado pela JASC, pois atende cerca de 50 idosos institucionalizados ininterruptamente. O Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03) reconhece essa faixa etária como vulnerável, onde prevê proteção, garantia de direitos e responsabilização em caso de violação de direitos e omissão. É um trabalho extremamente caro, pois trata do processo de envelhecimento do ser humano que está em declínio, onde surgem diversas patologias. Amparar e atender um idoso institucionalmente requer amor e paciência, mas é primordial conhecimento técnico, gerontológico e muita responsabilidade.

Em média, quantas pessoas são assistidas pelos projetos da Jasc?

A JASC atende em torno de 200 pessoas/mês através de seus projetos.

Qual a origem dos recursos para o desenvolvimento dessas atividades?

Devido ao grande esforço financeiro para realizar o atendimento institucional a idosos – que demanda uma folha de pagamento mensal, o Lar Batista do Ancião conta com subsídios financeiro de familiares de idosos. Já os projetos JASC Esporte & Cultura e Madrugada do Carinho realizam suas atividades com ações totalmente voluntárias.

Quantos colaboradores atuam na JASC e quais as maiores demandas da instituição?

Em torno de 45 pessoas diretamente, onde 35 destas possuem vínculo trabalhista devido ao alto nível de responsabilidade no atendimento institucional a idosos que ficam sob nossos cuidados por tempo integral. Numa instituição sem fins lucrativos, o maior desafio é custear uma folha de pagamento e arcar com despesas como alimentação, limpeza e serviços essenciais como água, energia e gás. Difícil definir qual seja a maior demanda, mas algo que é fácil de se doar seria alimentos e material de limpeza. O item alimentar mais usado é o leite (500 litros mensais).

A JASC tem ampliado sua influência na sociedade através da participação de seus entes em comissões específicas nas esferas públicas. Poderia nos contar algo sobre essas participações e como elas têm beneficiado a instituição e a comunidade ao redor?

A JASC, como organização social, está inscrita nos Conselhos de Direitos do Município do Rio de Janeiro. São eles: Conselho Municipal de Assistência Social, Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescentes e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, neste último fomos eleitos conselheiros e fazemos parte da mesa diretora, onde temos atuado ativamente na construção de uma política pública municipal que garanta os direitos e a dignidade da pessoa idosa. Temos também parceria com o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), onde disponibilizamos o nosso espaço para realização de atividades de convivência e fortalecimento de vínculos de crianças e adolescentes. A equipe técnica deste equipamento público municipal também nos auxilia nas demandas com nosso projetos. Nos reunimos sempre que necessário para planejar ações em conjunto em prol da comunidade local.

Existe alguma perspectiva de ampliação do leque de projetos da Jasc? Poderia comentar?

Existe sim, temos a expectativa de tornar nossos projetos JASC Esporte & Cultura e Madrugada do Carinho mais técnicos e robustos, com possibilidades de captação de recursos externos, contribuindo no combate às desigualdades sociais, trazendo relevância do trabalho social batista em nosso município.

Sobre o Lar Batista do Ancião, quais as atividades terapêuticas oferecidas aos idosos assistidos pela instituição?

O Lar Batista do Ancião é uma instituição de longa permanência para idosos, caracterizada como uma prestação de serviço, onde suas atividades realizadas estão preconizadas em legislações específicas que normatizam esse serviço, como a ANVISA, Vigilância Sanitária Municipal e Legislação Estadual. O Local deve funcionar como uma residência coletiva, desta forma é necessário prover serviços básicos, como alimentação, limpeza, lavanderia, profissionais nos cuidados diários, técnico de enfermagem, enfermeiro, médico geriatra, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, nutricionista, psicólogo e assistente social. Essa é uma equipe básica, mais seria muito interessante e enriquecedor a presença de outros profissionais que estimulassem os idosos, como um fonoaudiólogo e um musicoterapeuta.

Como funciona a entrada de novos internos no lar?

Para entrada de novos idosos é necessário um agendamento prévio para a realização de uma entrevista de avaliação para identificarmos em qual grau de dependência o idoso se encontra, se é perfil da nossa modalidade de atendimento. Pois, por exemplo, idosos com sonda de qualquer tipo a vigilância sanitária não permite recebermos. Nesta entrevista, se for identificado que o idoso se enquadra no grau de dependência que podemos receber, entregamos uma lista com exames, documentação e enxoval a serem providenciados. Após o cumprimento da lista, agendamos a admissão do idoso. Vale ressaltar que o idoso que possui família é de responsabilidade da mesma cuidá-lo ou custear para que o idoso receba cuidados para sua sobrevivência e dignidade.

O LBA promoveu, há alguns dias, uma campanha para a compra de colchões e cadeiras. O objetivo foi alcançado? Quais as atuais urgências do lar?

Alcançamos 40% da Campanha dos colchões. Das cadeiras higiênicas, uma única igreja nos doou de Natal. Temos vivenciado um tempo muito difícil, onde tudo tem sido urgente. A receita arrecadada só cobre a folha de pagamento dos funcionários e seria muito interessante a doação sistemática de alimentos e material de limpeza, realização de campanhas, almoços e festas para compra e renovação de utensílios de cozinha e materiais duráveis e móveis.

De que forma as igrejas e irmãos podem apoiar os projetos da Jasc?

Sendo mantenedor financeiro, doando alimentos, material de limpeza, fraldas, material de enfermagem, doando seu tempo, oferecendo algum serviço de atendimento direto ao idoso ou à estrutura administrativa e predial do Lar Batista do Ancião. Doação de lanche para as crianças do futebol e karatê, alimentos para serem preparados e distribuídos na Madrugada do Carinho.

De que forma a Jasc pode oferecer apoio, com sua expertise, aos batistas cariocas?

A JASC tem enfrentado um grande desafio para alcançar a sustentabilidade do Lar Batista do Ancião, o que de certa forma nos impede de caminhar em outras ações. Mas é notório o potencial que a JASC tem de ser uma fomentadora de projetos sociais básicos nas igrejas que desejam atender sua comunidade local. Temos, há um tempo, estudado a possibilidade da JASC ter pólos em igrejas locais, onde ela poderá ser a gerenciadora e a igreja a executora de projeto social local. Nessa vivência com idoso institucionalizado, sem dúvida, hoje é a área onde temos mais expertise.

Entre em contato com a Junta de Ação Social Carioca pelo telefone (21) 99617-1514 ou pelo e-mail auxiliaradm.jasc@gmail.com