O Dia de Finados é uma data marcada pelo luto. Mas, durante todo o ano, milhões de pessoas visitam cemitérios para prestar as últimas homenagens a familiares e amigos que partiram. Nesse momento importante, de reflexão e recordações, missionários têm representado os batistas cariocas na evangelização e aconselhamento de vidas marcadas pela dor da separação. São pessoas chamadas por Deus para chorar com os que choram e mostrar que existe um consolador que pode transformar a tristeza em alegria.

A Capelania aos Enlutados da Convenção Batista Carioca nasceu com a missão de “promover o cuidado e o aconselhamento de pessoas enlutadas, cultivando um relacionamento com a igreja local para o desenvolvimento espiritual dessas pessoas”. Além disso, uma das importantes ações dos que atuam nessa área é promover a capacitação de igrejas para o trabalho com os enlutados.

Pr. Nelson Cardoso é o mais antigo missionário dessa capelania. Através das sementes lançadas aos corações enlutados e, especialmente, às igrejas e seus vocacionados, hoje a capelania conta com quatro representantes de tempo integral e diversos voluntários. O missionário Felipe da Conceição foi o segundo a somar à capelania. Ele, que nunca sonhou em ser um capelão aos enlutados, viu-se atraído por Deus, tendo sua vocação consolidada após meses de experiência prática ao lado do Pr. Nelson.

Amariz Braz foi a terceira capelã da equipe. Sua chegada permitiu a ampliação dos atendimentos e sua experiência prévia como missionária em outros campos foi uma das grandes responsáveis por sua notável adaptação ao ministério. Por fim, o missionário Fábio Lima veio como a mais nova aquisição, sendo tocado por Deus ao verificar que, nos cemitérios, poderia alcançar vidas que, dificilmente, entrariam em uma igreja evangélica.

São vidas como a da assistente social Abertina Carvalho, que perdeu dois familiares em períodos muito próximos. “Vivi uma experiência de luto na minha família, quando o pastor Nelson deu todo o apoio. Na hora de muita necessidade, ele veio com uma palavra. Foi muito marcante porque, em um momento, sem saber, ele declamou o salmo que minha mãe tanto amava. Creio que ele foi guiado por Deus neste momento. Isso ficou marcado. Então ninguém melhor que eu para agradecer ao trabalho que está sendo feito”.

A Capelania aos Enlutados atua em seis cemitérios do Rio de Janeiro e já se encontra em mais uma fase de expansão, chegando ao Cemitério do Pechincha/ Jacarepaguá. Isso só está sendo possível pela visão de multiplicação de líderes. Andréia Pereira dos Santos, cujo testemunho poderá ser lido aqui, vem sendo capacitada para, em breve, assumir uma frente missionária.

Tudo isso está sendo possível porque pessoas e igrejas estão apoiando estes projetos. Seja como voluntário ou mantenedor, você também pode fazer parte dessa proposta missionária. Acesse www.missoesrio.com.br/pam e adote um projeto da Capelania aos Enlutados. Vidas precisam ser alcançadas pelo evangelho.