Mais de 100 pessoas se converteram ou se reconciliaram com Cristo no último mês, durante as ações de capelania prisional na cidade do Rio de Janeiro. Os números são reflexos de uma igreja atuante, com semeadores enviados por igrejas batistas e membros-presos que encontraram na fé um novo estilo de vida.

Os dados fazem parte do relatório do missionário Claudio Barreto, que coordena os trabalhos da Convenção Batista Carioca no âmbito prisional. Ele, ao lado do missionário Laércio Oliveira e de voluntários de igrejas batistas, tem mantido atividades regulares de assistência e proclamação da Palavra em seis presídios cariocas.

No início de novembro, a capelania prisional realizou o culto de ação de graças pela formação do Grupo Teatral Luz do Mundo. O grupo é formado por irmãos que cumprem pena no Presídio Evaristo de Moraes em São Cristóvão. “O grupo conta com dezoito participantes e eles elaboram os próprios roteiros que encenam, todos com conteúdo bíblico e apresentando de maneira profunda situações muito comuns da vida e nos confrontando com a verdade bíblica, apontando o Caminho a seguir”, explicou Pr. Claudio.

O grupo teatral tem atuado em atividades religiosas e civis da unidade prisional. A mensagem encenada tem emocionado pessoas e contribuído com a expansão do evangelho. Durante o culto, internos recém-chegados se converteram a Cristo ao final da apresentação da peça baseada na história do filho pródigo. Um dos agentes penitenciários que estavam assistindo à programação confessou que estava impressionado com o que está presenciando desde que foi transferido para trabalhar na ala evangélica.

“Eles estão presos, mas a Palavra de Deus não está, e mesmo com muitas privações e dificuldades, muitas vezes desanimados, o Senhor os tem ajudado a permanecerem firmes no propósito de anunciar Cristo para a salvação de todo aquele que crê”, afirmou o missionário.

A crise do Estado amplia os desafios da capelania e por isso os missionários pedem oração.  “A população carcerária do nosso Estado só aumenta. O sucateamento dos aparelhos públicos e a situação a que estão submetidos os servidores tornaram o ambiente prisional ainda pior. Ultimamente estamos enfrentando muito mais dificuldade para realizar as atividades da Capelania, inclusive para distribuir as doações. Por isso pedimos a intensificação das orações do povo de Deus”, comenta o missionário Claudio. Outros motivos de oração são por pessoas que tenham condições de se tornarem mantenedoras deste projeto, bem como pela manutenção dos frutos que surgem a cada dia.

 

» Seja um parceiro da Capelania Prisional da Convenção Batista Carioca, clicando aqui.